Hipersensibilidade dentária

A hipersensibilidade ocorre geralmente na região do colo do dente, próximo a gengiva.

Normalmente essa sensibilidade ocorre com alimentos muito frios ou muito quentes, devido a retração da gengiva, que expõe a dentina.

As causas mais comuns da hipersensibilidade dentinária são:

• A escovação errada (com movimentos de vai e vem com força);
• Uso de escova dura;
• Alimentação rica em ácidos;
• Problemas de oclusão;

A sensibilidade pode ser tratada com o emprego do Laser Terapêutico e outras substâncias capazes de vedar a dentina exposta. Em casos mais severos é necessário vedar a dentina exposta, como vernizes fluoretados e, se necessário, uma restauração de resina composta.

Laserterapia


A laserterapia é um tratamento indolor feito com a aplicação de raios laser sobre a área a ser tratada, acelerando a cicatrização, recuperação de músculos, tendões, ligamentos, pele mais fortes, etc.

O laser (Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation) é um raio de luz amplificado por uma emissão estimulada de radiação.

A radiação emitida propaga-se na mesma direção da luz para produzir um elevado grau de pureza com as seguintes características distintas:


•Monocromáticas (o mesmo comprimento de onda)
•Coerente (todas as ondas estão em fase)
•Direcionalidade de concentração (em um sentido)
•Luminosidade de energia (emitida por unidade de área e de ângulo sólido)


As indicações à Laserterapia vão ainda além do tratamento para hipersensibilidade dentária:

1. Alívio da dor (efeito antiálgico):
Promove o alívio de dores de diversas etiologias tais como dores de origem pulpar, dores nevrálgicas, dores em tecido mole, mialgias, dores de pré e de pós-operatório. Além dessas aplicações diretas, existem autores que preconizam sua aplicação, em determinados pontos de acupuntura para o alívio indireto desses tipos de dor. Podemos ainda utilizar o laser para irradiar pontos gatilho em dor miofacial, como meio eficaz de tratamento de dor orofacial.

2. Reparação tecidual (efeito bioestimulante do trofismo celular):

A fotobioestimulação por laser tem sido empregada de maneira bastante afortunada em tratamentos de condições de necrose pulpar, após o tratamento endodôntico do elemento dental acometido, bem como nos casos de lesões traumáticas, viróticas ou no pós-operatório, promovendo uma reparação tecidual mais rápida e com padrão de qualidade histológica superior.

3. Redução de edema e de hiperemia (efeito antiinflamatório, antiedematoso e normalizador circulatório):

Podemos utilizar o laser em polpa durante o tratamento de corte ou desgaste do tecido dental, para eliminar a pulpite transitória que se instala após esse tipo de tratamento. Recomendamos, que se utilize imediatamente após o procedimento de dentística ou de preparo para prótese, com a finalidade de reduzir a inflamação e com subseqüente minimização da dor. É bastante satisfatória também, sua aplicação em pós-operatório de procedimentos no campo da periodontia, assim como no pós-operatório de cirurgia oral menor, principalmente se esta for traumatizante ou complicada.